segunda-feira, abril 08, 2013

Gotika: arquivos Maio 2004

maio 01, 2004

Sou tão gótica, tão gótica...

O resultado de uma semana de pensamentos ociosos. Deliciem-se a descobrir a verdade da mentira.


Sou uma gótica tão precoce que nasci ao pôr-do-sol num dia de tempestade.
Sou uma gótica tão precoce que a minha amiga imaginária era uma fada.
Sou uma gótica tão precoce que na escola primária coloria todos os bonecos de preto e roxo e achava muito bonito.
Sou uma gótica tão precoce que tenho olheiras desde os 7 anos.
Sou uma gótica tão precoce que aos 3 anos pensava na morte.
Sou uma gótica tão precoce que aos 6 anos perguntava aos meninos da escola se pensavam na morte.
Sou uma gótica tão precoce que deixava de falar aos meninos que não sabiam o que era a morte.
Sou uma gótica tão precoce que antes fazia questão de lhes explicar que iam acabar debaixo da terra comidos por vermes.
Sou tão gótica que no liceu perguntava aos professores se pensavam na morte.
Sou tão gótica que pergunto a toda a gente.
Sou tão gótica que os professores do liceu tinham medo de ficar sozinhos comigo.
Sou tão gótica que os os colegas também.

Sou tão gótica que a Morte foi à Polícia fazer queixa de mim por assédio.
Sou tão gótica que sei de cor poemas da Florbela Espanca.
Sou tão gótica que nos dias em que não penso em suicidar-me penso na morte natural.
Sou tão gótica que quando morrer não vou dar pela diferença.
Sou tão gótica que quando morrer ninguém vai dar pela diferença.
Sou tão gótica que quando me rio as pessoas pensam que já bebi demais.
Sou tão gótica que quando não me rio as pessoas pensam que estou a planear o suicídio.
Sou tão gótica que um enfermeiro tentou medir-me o pulso e pensou que a máquina estava avariada.

Sou tão gótica que todos os dias faço mesmo algo que assusta as pessoas. Geralmente, é uma boa acção.
Sou tão gótica que respeito os góticos mais velhos.
Sou uma gótica tão velha que os jovens góticos já me respeitam...
Sou tão gótica que me olho ao espelho em horror quando não me posso vestir de preto.
Sou tão gótica que quando abro o roupeiro a minha roupa preta grita de horror por estar junto à "roupa de dia".
Sou tão gótica que nunca fui racista porque "black is beautiful".
Sou tão gótica que consigo passar uma noite inteira num bar sem falar com ninguém.
Sou tão gótica que fico aborrecida quando falam comigo e estragam o meu recorde de "horas sem falar com ninguém".
Sou tão gótica que posso conhecer outro gótico há 20 anos e só lhe falar para pedir lume.

Sou tão gótica que os vampiros se cruzam comigo na rua e se sentem saudáveis.
Sou tão gótica que se me transformassem em vampiro eu não dava pela diferença.
Sou uma gótica tão fútil que amo o vampiro Lestat mas preferia andar com o vampiro Louis porque tem mais estilo.
Sou tão gótica que as crianças me perguntam se sou vampira e respondo que sim, mas não precisam de ter medo porque já jantei.
Sou tão gótica que as crianças acreditam.

Sou tão gótica que sou católica.
Sou tão gótica que fui excomungada.
Sou tão gótica que corro o risco de ser excomungada outra vez.
Sou tão gótica que sexta feira 13 é o meu dia de sorte.
Sou tão gótica que só deixei de ter medo dos lobisomens quando comprei um pentagrama... aos 18 anos.
Sou tão gótica que só comprei um pentagrama aos 18 anos porque não me deixavam comprá-lo antes.
Sou uma gótica tão fútil que não quero ser freira porque os hábitos têm uma orla branca.
Sou tão gótica que não vou para o Inferno porque aquilo tem muita luz.
Sou uma gótica tão fútil que não vou para o Céu se me obrigarem a usar asinhas brancas.
Sou uma gótica tão fútil que o diabo veio tentar-me vestido de vermelho e o ignorei porque não falo a bimbos.
Sou tão gótica que as velhinhas olham para mim e benzem-se.
Sou tão gótica que me benzo também para retribuir o elogio.

Sou tão gótica que o meu telemóvel tocava mesmo a Tocatta e Fuga e eu achava demasiado pretencioso. Agora toca Sisters of Mercy.
Sou tão gótica que já fui passear ao cemitério.
Sou tão gótica que já marquei encontros no cemitério.
Sou tão gótica que a minha roupa de ginástica é preta e só preta.
Sou uma gótica tão fútil que na ginástica não agarro a bola para não estragar as unhas.
Sou tão gótica que os outros da ginástica têm medo de me passar a bola.
Sou tão gótica que os outros da ginástica têm medo de pôr o colchão ao pé do meu.
Sou tão gótica que os outros da ginástica têm medo.

Sou uma gótica tão fútil que vou à praia mas o bikini tem de ser preto.
Sou tão gótica que nunca fiz uma tatuagem porque conheço demasiados símbolos para me decidir por um.
Sou tão gótica que nunca fiz um piercing porque em mim tudo infecta automaticamente.
Sou tão gótica que não uso relógio. Sinto quando a madrugada se aproxima e acordo naturalmente ao pôr-do-sol.
Sou tão gótica que acho os morcegos amorosos.
Sou tão gótica que os morcegos me acham amorosa.
Sou tão gótica que tive um canário branco e lhe arranjei uma canária escura para os filhos não saírem muito claros.
Sou tão gótica que os meus gatos pretos acham lhes dou azar.
Sou tão gótica que os meus gatos pretos me evitam à sexta feira 13.

Sou uma gótica tão velha que os jovens góticos estremecem de medo na minha presença.
Sou uma gótica tão velha que já não peço música ao DJ porque ele sabe melhor do que eu aquilo que eu gosto.
Sou uma gótica tão velha que já estava no movimento quando vocês chegaram.
Sou uma gótica tão velha que já estava no movimento quando os vossos pais chegaram.
Sou uma gótica tão velha que no meu tempo o Robert Smith era magro.
Sou uma gótica tão velha que no meu tempo a Siouxie era magra.
Sou uma gótica tão velha que no meu tempo o Kremlin passava Cure e não tinha tiroteios à porta.
Sou uma gótica tão velha que no meu tempo um vodka custava 300 escudos e era caro.
Sou uma gótica tão velha que já não uso bengala só como acessório.
Sou uma gótica tão velha que mandei fazer a dentadura com dentes à Drácula.
Sou uma gótica tão velha que ainda me lembro dos primeiros góticos dos anos 80.
Sou uma gótica tão velha que já morreram todos.

Publicado por _gotika_ em 07:29 PM | Comentários: (17)


Comentários

Vou arriscar e voltar a comentar no sítio adequado.

Mas como estes comentários são importantes, a resposta continua aqui:

Diz Goldmundo:

E para falar de outras coisas falando disto, exactamente a diferença entre os que pensam e os que existem é o tema forte da Entrevista, e é sempre o Louis que dá o "mote". Desconfio que ele se vai "apagando" ao longo da saga, se não for "assassinado" também por depoimentos malandros.

Não se vai apagando. :) Espera pelo comentário ao "Merrick". Acho que vais gostar tanto como eu.


Mas é o Louis que força os outros a olhar (rasgar a luz, como uma vez se disse aqui), mesmo que o faça desajeitadamente, ou fracamente.

Sim. Foi ele que pôs a boca no trombone, disso não há dúvidas. Mas quem o foi buscar à vida foi o Lestat. Mais uma vez, o responsável é o nosso vampiro louro... O nosso vampiro louro e louco.


Algures no séc. XIX (ao mesmo tempo que a noite dos poetas passou de negro a azul, ao mesmo tempo que os abismos da montanha, do mar e da alma entraram na literatura) houve duas espécies que se tornaram mutantes: os anjos deixaram de ser aqueles bébés inchados da pintura barroca e das talhas douradas das igrejas e passaram a ser os anjos negros perdidos e vadios do Wim Wenders e do Cave; e os vampiros deixaram de ser subdemónios para serem o que antigamente era o Prometeu ou o Tristão.

Aqui não sei se concorde. O vampiro ainda é o Mal e o anjo ainda é o Bem. A partir destes padrões é que se criam personagens mais ou menos desviantes.


De modo que a literatura "gótica" só por acaso é herdeira das catedrais: os primeiros escritores usaram o "ambiente gótico" como no séc. XX se usou a ficção científica: livramo-nos do mundo actual para causar medo, horror, adrenalina. Os fantasmas e os vampiros começaram por ser os bisavós dos marcianos de 1950.

Touché!
Espero que o Mefistofeles tenha ficado esclarecido porque em relação ao Romantismo e ao conceito de gótico do século XIX está tudo dito.

Publicado por _gotika_ em 06:57 PM | Comentários: (0)


~~§~~


Comentário:
Já não me lembrava mas aqueles "sou tão gótica que..." são da minha autoria. :)

Etiquetas: , , , , , , ,

7 Comentários:

Blogger sus* disse...

Gotikka, não sei porquê, mas os posts em que publicas os arquivos do teu blogue não aparecem no Google Reader. Os outros aparecem normalmente.

9/4/13 21:26  
Blogger katrina a gotika disse...

Olá Sus*!
Acho que sei porque é que isso está a acontecer. Tenho o "Allow Blog Feed" todo em "full" para tudo. Mas acontece que estes posts já foram publicados antes, e por o Blogger só permitir arquivar mensalmente um determinado número do posts tive de os republicar mais devagarinho. Se calhar o Goggle Reader não os considera "novos posts" por causa disso (deve haver uma memória que diz ao Google Reader que foram publicados antes). Não estou a ver outra razão.

10/4/13 05:11  
Blogger MintJulep disse...

Vê lá que eu lembrava-me ahah.

10/4/13 11:53  
Blogger katrina a gotika disse...

Mint:
já me lias nesse tempo? Pensava que me tinhas conhecido mais recentemente.
Como eu sou uma gótica tão velha, tão velha! o_O

11/4/13 04:27  
Blogger MintJulep disse...

Oh mulher, já te disse que te leio para aí desde 2004. E tu chegaste a ler um dos meus outros blogs ahah.

13/4/13 08:18  
Blogger sus* disse...

Obrigada pela explicação. O que vale é que de vez em quando espreito o blogue (com muito gosto, diga-se).

16/4/13 00:50  
Blogger katrina a gotika disse...

Basta vires uma vez por mês ou clicares ali no arquivo do mês respectivo. :)
Nos próximos meses continua o arquivo, até lá para Agosto.

16/4/13 03:28  

Enviar um comentário

Links to this post...

Criar uma hiperligação

<< Home



Animais de Rua - Projecto de Esterilização e Protecção de Animais Sem Lar

União Zoófila

Powered by Blogger




site search by freefind advanced




My blog is worth $22,017.06.
How much is your blog worth?