sábado, 28 de setembro de 2013

sem título

O bruxo veio ler-me a mão
viu viagens, viu amantes
mas disse-me, sem compaixão:
“Filhos, não terás não!”

Na linha da minha vida
já não há muito tempo a perder
Pelo caminho fingi-me esquecida
dos sonhos que sonhei ter.

Não me chores quando eu for,
porque agora vou feliz.
Conheci por fim o amor
antes de ir, quando te quis…

Se tu não és último,
próximo deves estar do final.
Na tua mão sou um passarinho doente
à espera da morte invernal.



6/10/1995



1 comentário:

Mint Julep disse...

Deste já não gostei tanto...