quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Novos monstros



Afinal Lovecraft tinha razão. Há monstros nas águas da Antártida...

Antártida: Investigadores descobrem estranhas criaturas no fundo do mar
19 de Fevereiro de 2008, 13:40

Sydney, Austrália, 19 Fev (Lusa) - Cientistas que investigam as águas geladas da Antártida anunciaram a descoberta de enormes aranhas e vermes na escuridão das águas profundas.

Uma equipa australiana que trabalha para um censo internacional da vida marinha recolheu vários espécimes a até 2.000 metros de profundidade, muitos deles nunca vistos até agora.

Alguns dos animais das profundezas do mar têm dimensões invulgarmente grandes, um fenómeno que os cientistas não conseguem explicar cabalmente e a que chamam gigantismo.

"O gigantismo é muito comum nas águas antárcticas", disse aos jornalistas Martin Riddle, o cientista da Divisão Antárctica Australiana que liderou a expedição.

"Recolhemos enormes vermes, crustáceos gigantescos e aranhas marinhas do tamanho de pratos de jantar" - acrescentou.

Os espécimes vão a ser enviados para museus em todo o mundo para identificação, recolha de tecidos e estudos de ADN.

"Nem todas as criaturas que encontrámos puderam ser identificadas e é muito provável que destas viagens surja o registo de algumas espécies novas", referiu Graham Hosie, chefe do projecto do censo da vida marinha.

A expedição faz parte de um ambicioso esforço internacional para mapear formas de vida no Oceano Antárctico e estudar o impacto das alterações climáticas no ambiente subaquático.

Três navios - da Austrália, França e Japão - regressaram recentemente de dois meses de explorações na região inseridas no Censo Marinho do Antárctico-Leste. Este trabalho faz parte de um projecto maior para mapear a biodiversidade nos oceanos.

Os navios francês e japonês procuraram espécimes nos níveis médio e alto das águas, enquanto que o australiano explorou as águas profundas.

"Nalguns locais todo o fundo marinho está coberto de vida", disse Riddle. "Noutros vemos marcas profundas e estrias provocadas pela passagem de icebergs".

Entre as criaturas de aspecto mais bizarro contam-se os tunicatos, animais que se alimentam de plâncton e fazem lembrar delicadas estruturas de vidro de até um metro de altura, "erguidas em campos como papoilas", referiu.

Mas estes não são os únicos animais desconcertantes que encontraram.

"Alguns tinham barbatanas em vários sítios e estranhos apêndices à volta da boca", disse Riddle aos jornalistas. "Eram todos moradores dos fundos marinhos e por isso adaptados de vários modos à vida na escuridão, tendo por exemplo olhos enormes".

Os cientistas planeiam uma expedição de seguimento dentro de 10 a 15 anos para examinar os efeitos das alterações climáticas no ambiente da região.

CM

Lusa/fim


Com um bocadinho de sorte ainda lá encontram C'thulu...

Ver mais espécies AQUI.

Etiquetas:

3 Comentários:

Blogger Tomás disse...

"Com um bocadinho de sorte ainda lá encontram C'thulu..."

... ou o Vageyena Man, e porque não?

21/2/08 21:32  
Blogger Ashera disse...

já fiquei a saber de onde veio o Bush ...
Interessante "post":-)
Estou curiosa também com esse filme "Syriana"!
Obrigada pelas dicas
Bom fim de semana
Beijos

22/2/08 12:41  
Blogger gotika disse...

lol, o bush!

23/2/08 00:43  

Enviar um comentário

Links to this post...

Criar uma hiperligação

<< Home



Animais de Rua - Projecto de Esterilização e Protecção de Animais Sem Lar

Powered by Blogger




site search by freefind advanced