sexta-feira, junho 14, 2013

Máquina Herética: poesia e prosa poética, 2


Se tu és a rosa eu sou o espinho.
Se tu és a estrada eu sou o atalho.
Se tu és a terra eu sou o verme.
Se tu és o trigo louro eu não sou nada mais que
as folhas que murcharam e que tu escondes abaixo do sol.
Se tu és a pradaria eu sou a erva seca.
Se tu és o sol, podes crer que eu sou uma estrela que já morreu.

3-9-1987

Etiquetas: , ,

4 Comentários:

Blogger MintJulep disse...

Este é forte, eu acho. Parece mais adulto.

12/12/12 11:26  
Blogger katrina a gotika disse...

Gentileza tua. :)

Na verdade, só aqui entre nós, estava a pensar na pessoa por quem estava apaixonada. E senti cada palavra. Ela era tudo, eu não era nada.

13/12/12 04:28  
Blogger MintJulep disse...

Amores assim são sempre um mal, quando pomos o outro como o todo do nosso mundo e nos anulamos. Mas aos 15 anos, só se sente a paixão assim, não é?

13/12/12 10:23  
Blogger katrina a gotika disse...

Não sei. Esta foi uma paixão muito especial. Ela era o cisne, eu era o patinho feio. só faltou uma frase ao poema: tu és bela, eu não sou.

15/12/12 03:38  

Enviar um comentário

Links to this post...

Criar uma hiperligação

<< Home



Animais de Rua - Projecto de Esterilização e Protecção de Animais Sem Lar

União Zoófila

Powered by Blogger




site search by freefind advanced




My blog is worth $22,017.06.
How much is your blog worth?